Joffre

Lapso de Memória - UOL Blog

Lapso de Memória


20/05/2010


Eu Gosto

 

Eu Gosto

 

 

Eu gosto quando o sangue ferve
Quando o corpo estremece sem parar
Gosto daquela que me come com o olhar
Que devora com palavras que sussurra no ouvido

 

Eu gosto quando o tempero é apimentado
Quando as frases são ditas sem calma nenhuma
Gosto do tumulto de sentimentos que afloram na pele
Que deixam marcas e cicatrizes profundas pelo corpo

 

Eu gosto quando a voz fica trêmula
Quando o cheiro de paixão se dispersa no ar
Gosto de ficar com água na boca só de imaginar
Que no momento que te encontrar vou te saborear

 

Eu gosto quando o desejo é mais forte
Quando o sentimento teima em vencer a razão
Gosto de pensar milhares de formas de te desejar
Que inspiram as minhas fantasias me fazendo delirar

 

Eu gosto quando o corpo não se controla
Quando a loucura consegue vencer o correto
Gosto de ficar vivo quando te tenho ao meu lado
Pois só assim consigo mudar o sonho para a realidade.

Escrito por Joffre Cardoso às 23h22
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

16/05/2010


Era Mais Simples

 

Era Mais Simples

 

 

Quando eu era criança eu tinha medo de escuro
Passava um tempo imenso para poder adormecer
Ainda hoje às vezes aquela sensação me persegue
Mas basta pensar em você para que a luz retorne

 

Naquele tempo as coisas eram bem mais simples
Não ia para casa sem a sua boca e sem seu corpo
Bastava um sorriso e algumas palavras e você cedia
Mas agora na milésima tentativa ainda tenho receio

 

Antes com apenas um olhar o mundo mágico surgia
Era como um relâmpago que invadia nossos corpos
Era simples dominar suas vontades e suas vaidades
Mas hoje fico cansado de falar para lhe convencer

 

Naquela época seus olhos brilhavam quando me viam
Eu sabia que se pedisse você faria tudo para conseguir
Tinha a certeza de olhos fechados que você era minha
Mas o tempo passa e as coisas mudam sem notarmos

 

Não posso fazer o tempo voltar ou sentimento reviver
Sei que necessito seguir em frente sem olhar para trás
Eu conheço a dor e o problema de manter a esperança
Mas às vezes este sentimento vence as minhas defesas

 

Não sei se a culpa consumiu o sentimento em excesso
Se algum tipo de pedra apareceu impedindo a passagem
Ou se o mundo que conhecia mudou enquanto eu dormia
Mas sei que meu corpo está sentindo a ausência do seu.

Escrito por Joffre Cardoso às 18h56
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

02/05/2010


Ressaca

 

Ressaca

 

 

O gosto ainda está na boca e a garganta continua amargando a saliva
Mas a ressaca de um longo tempo acabou da mesma forma que chegou
Ainda sinto o tremor que me fez recair na fantasia que me enlouquece
Mas agora posso abrir os olhos e respirar as palavras que ficaram presas

 

Fiquei calado não sei por qual motivo neste período em que tudo escureceu
Trancado em um mundo que me aprisionou e não deixou brechas para fugir
Mas voltei a perder o controle e como sempre fui retorno sem medo de falar
Tentei e me esforcei mas o meu instinto foi corrompido com o doce pecado

 

Por ela mudei olhei para o mundo de outra forma como se nunca tivesse visto
Eu conheci o outro lado que é baseado em carinho e atenção sem explicação
Foi assim por um longo tempo mas o corpo fibrila quando outra mulher passa
Os olhos perseguem aquilo que não se pode ter e deixa marcas estampadas

 

Então me perdi e coloquei na minha cama uma que geme de modo diferente
Que arranha quando era para alisar que grita quando é invadida sem piedade
A sensação de novidade enche os olhos é como uma comida boa que satisfaz
Quando termina deixa algo estranho como se o prato preferido fosse abusado

 

E quando a madrugada chega e o corpo teima em desfalecer cansado de sono
Lembranças voltam a atormentar como em uma sessão de martírio voluntário
Corrompendo a minha mente frágil e transformando o passado em presente
Nesta hora as mãos tremem e o frio parece ser mais forte do que realmente é

 

Mas conheço um jeito de seguir em frente sem ser derrotado por lembranças
É algo que faz parte de mim que por algum tempo me esforcei para esquecer
Porém o vício saiu vitorioso e conseguiu romper as grandes que o prendiam
E agora para continuar eu me alimento da conquista do desejo e do prazer.

Escrito por Joffre Cardoso às 17h51
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil

Joffre Cardoso


Meu perfil
BRASIL, Nordeste, NATAL, Homem, de 26 a 35 anos
MSN - joffrecardoso@yahoo.com.br

Histórico